Formar profissionais para a atuação na gestão em saúde atendendo as exigências do mercado, e implementando ações e pensamento crítico na arte do gerenciamento com entrega de resultados sustentáveis, através de uma visão sistêmica dentro do sistema de saúde. Específicos: a. Entender o processo da gestão em serviços de saúde; b. Aprimorar competências e desenvolver visão crítica e analítica; c. Desenvolver a capacidade de compreender e articular com os stakeholders; d. Desenvolver a capacidade de construção de boas práticas, considerando minimamente as exigências legais.
Profissionais com formação superior em diversas áreas de conhecimento ( Enfermagem, medicina, nutrição, assistência social, fisioterapia, psicologia, etc).
Carga Horária: 360 h
Duração: 12 meses
Horários: das 09h00 às 16h00 (Sábado) | Encontros mensais
01 cópia autenticada do diploma ou cópia simples;
01 cópia do histórico escolar do ensino superior;
01 cópia do RG;
01 cópia do CPF;
01 cópia da certidão de nascimento ou casamento;
01 cópia do comprovante de endereço com CEP;
02 fotos 3 x 4
Certificado de Pós-Graduação Lato Sensu, expedido pela Faculdade Paulista de Serviço Social de São Caetano. Credenciamento MEC nº 71516 de 12/12/1972
MATRIZ CURRICULAR
A gestão/administração em saúde pode ser definida como o conhecimento aplicado no manejo do complexo das organizações de saúde, envolvendo a gerência de redes, esferas públicas de saúde, hospitais, laboratórios, clínicas e demais instituições e serviços de saúde. Abrange três grandes dimensões altamente complexas: os espaços dos cuidados diretos - singulares e multiprofissionais; as diversas instituições de saúde; e a exigência da formação e operação de redes de serviços de saúde para uma assistência universal, integral, equânime, de qualidade e eficiente para as necessidades de saúde da população. É recorrente a constatação de que a gestão em saúde ainda está ancorada em métodos e estratégias tradicionais, oriundas da teoria clássica da administração. E que construir novas formas de gestão na área da saúde, fundadas na participação, práticas cooperativas e interdisciplinares onde trabalhadores e usuários atuem como sujeitos ativos, permanece como desafio. Considerando o atual cenário, o curso visa nortear os integrantes para uma dimensão superior de gestão na formação de atributos que garantam atingir as atuais necessidades. Para melhor aproveitamento dos alunos, se entende que o conhecimento deve ser construído pelo próprio estudante, incluindo múltiplos meios, sobretudo a própria pesquisa, leitura e a experiência prática. Nessa política, o professor define-se como o orientador da pesquisa, exercendo o papel de valorizador da confiança, da desenvoltura, da curiosidade científica, cultural e intelectual. Além disso, exerce o papel necessário de cobrar, propor, exigir e estimular os alunos a promover reflexões do seu cotidiano, construindo novas práticas de forma a romper com práticas muitas vezes violadoras de Direitos. Enfatiza-se a formação humanística, teórica e prática, com a capacidade de articulação entre as dimensões, indispensável à adequada compreensão dos fenômenos, das transformações do processo do cuidar. Assim, a política de ensino se dá no sentido de que o estudante não pode ser preparado dentro apenas de uma visão tribal, nem a partir da ideia de formação isolada. As ideias fundantes são a atuação dentro de um processo multidisciplinar, de completude das ações diferentes que proporcionam visão gerencial, favorecendo a entrega do produto proposto por todos os processos finalísticos ou estratégicos, tendo a alta administração envolvida e agindo como mola propulsora na construção e manutenção da cultura sustentável de entrega de resultados.